sábado, 25 de abril de 2009

44 formas para usar a arte no aprendizado das crianças




Darlene Franklin

“Cristo me ama, .... ” Amanda cantava enquanto se dirigia da Igreja à sua casa, ela levava um quadro montado com o verso bíblico, “Amemos uns aos outros” (I João 4:7) escrito na parte inferior. “Que bom, que já estás de volta! O que aprendeste hoje Jimmy?” “algo sobre Gebos”.

Qual é a diferença? Jimmy escutou a lição bíblica e Amanda se deleitou fazendo as atividades. As artes visuais, manuais, música, dramas ou escrever textos com verdades bíblicas relacionadas à vida, são coisas com as quais aprendem. Em continuação expomos 45 idéias para usar as artes no aprendizado das crianças.

Trabalhos manuais

As artes por si mesmas exibem os fatos concretos das lições bíblicas.

1. Leve quadros bonitos ao salão de classe, obtidos de livros ou slides.
2. Desenhe um mapa se o local é uma parte importante na história.
3. Desenhe bandeiras temáticas.
4. Apresente a lição bíblica ou uma história contemporânea com rótulos atraentes ou caricaturas alusivas à lição.
5. Ilustre a cena culminante da história em um mural.
6. Teça ou costure a túnica de José.
7. Marque uma linha de tempo para o ministério público de Jesus.
8. Pinte ou desenhe tecidos para mostrar os eventos na seqüência.
9. Prepare um panorama das covas onde David se escondeu de Saul.
10. Construa as paredes de Jericó com blocos de Isopor.
11. Prepare quadros de duas e três folhas para o estudo de um personagem.
12. Prepare pegadas das mãos e dos pés para pensar em como nossos corpos podem ser usados para o serviço de Deus.
13. Faça montagem ou colagem de quadros com materiais naturais ou pastas.
14. Colete vários objetos como folhas, esponjas, rochas e bolinhas para usá-los em pin-turas ou quadros.

Música

Com ou sem palavras, a melodia, a harmonia e os toques, expressam emoções em um nível instintivo. A música funciona bem logrando metas de atitude.

15. Toque uma música antes que comece a classe ou durante o tempo que as crianças estiverem trabalhando.
16. Cante com as crianças. Ensine um hino da classe.
17. Prepare um livro de corinhos para usá-lo na classe.
18. Construa instrumentos musicais, tais como, tambores, chocalhos e pandeiros. Ima-gine que você é Maria (irmã de Moisés) cantando com os israelitas louvando a Deus depois de cruzar o Mar Vermelho.
19. Examine o índice temático e o índice de títulos em seu Hinário e selecione hinos relacionados às lições ou versos de memória.
20. Sublinhe ou assinale os hinos favoritos.
21. Ilustre o significado do hino com movimentos ou quadros.
22. Participe com as crianças. Prepare um grupo pequeno para que cante na classe ou que toda a classe cante para a igreja.
23. Leve para a classe um teclado (piano elétrico) ou campainhas. Escolha uma melodia original para adaptá-la às palavras do verso de memória.
24. Escreva uma letra original e adapte a uma melodia conhecida.

Drama

25. Mostre vídeos e discutam o conteúdo.
26. Faça máscaras de pratos de cartão ou cartolina para usá-los no drama.
27. Elabore seus próprios dramas e use vestimentas e materiais apropriados.
28. Designe as “partes” dos alunos em situação da vida real.
29. Entreviste um personagem bíblico famoso. Também entreviste líderes da Igreja.
30. Realize um monólogo de um personagem bíblico ou a luta de uma criança com um problema.
31. Responda as perguntas “quê, quando, quem, onde e por quê” como uma transmis-são de notícias.
32. Ensine uma lição familiar como a do Bom Samaritano, representando a história.
33. Escolha um livro da biblioteca da igreja para representá-lo.
34. Fragmente uma história Bíblica para obter uma encenação.

Escritos

Os escritos podem estar reforçados com outras artes, por exemplo: “globos” para as cari-caturas nos cartazes, instrumentos para tocar com a música e notas nos murais. Também podem fazer-se só escritos como uma atividade da aprendizagem.

35. Leia para as crianças.
36. Peça que os de sua classe revisem as leituras dos livros da biblioteca da Igreja.
37. Componha acrósticos com palavras chaves da história.
38. Conserve um diário imaginário de um personagem bíblico, tal como Paulo.
39. Enviem cartas aos companheiros enfermos ou impossibilitados, familiares, membros da Igreja, missionários e crianças do estrangeiro.
40. Reúna artigos do jornal que se relacionem com a lição do dia. Inclua histórias, edito-riais, anúncios e entrevistas.
41. Elabore uma poesia, pode ser formal e de verso livre.
42. Faça perguntas e adivinhações para repassar a história.
43. Escreva uma história curta que se aplique à verdadeira vida real.
44. Use os versículos ou o formato de perguntas e respostas para escrever uma poesia ou um cântico.

Reúna algumas provisões básicas, junte algumas poucas idéias e leve a cabo sua pro-gramação. Os alunos aprenderão verdades bíblicas enquanto se divertirem.

Extraído de Idéias 2002, Ministério da Criança/Divisão Sul Americana

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Páscoa

LIÇÕES DO AMOR




TRÊS LIÇÕES IMPORTANTES

Jason Chatraw

Eis aqui três lições importantes do amor de Deus:

1) Nossa vida não pode refletir o amor de Deus a menos que aprendamos a amar os outros.

Um jovem que se dizia cristão conhecia tudo a respeito de Deus e de Seu plano de salvação para sua vida. Freqüentava a igreja todas as semanas e professava aberta-mente amar e Jesus na frente de seus colegas de trabalho. Porém, sua religião era a-penas de palavras para aqueles que convivam com ele. Sempre que havia problemas no trabalho, ele ficava amargurado e tinha atitude acusatória. Seus colegas não viam nada diferente nele dos demais, salvo por ser um “religioso fanático”. Não havia nada especialmente diferente em sua vida além de freqüentar semanalmente a igreja.

Paulo viu o mesmo tipo de atitude entre os cristãos de Corinto, levando-o a enviar-lhes esta advertência: “Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine” (I Coríntios 13:1). Nosso jornadear com Cristo não nos distingue se não tivermos amor. Somos apenas um ruído irritante sendo levado pelo vento, incapazes de ministrar o amor de Deus a alguém. Jesus também enfatizou esse ponto: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (João 13:35).

2) O amor é o laço da união.

Quando amamos as pessoas, podemos abrandar seu coração e tocar sua vida de for-ma ímpar. Mas como o amor nos mantém unidos? Quando começamos a amar al-guém, desejamos que nosso relacionamento seja “produtivo”, que seja ativo e que se desenvolva. Nunca desejamos que qualquer tipo de confrontação ou mal-entendido in-terfira no relacionamento, porém se surgir o conflito (e inevitavelmente isso ocorrerá), o coração que ama buscará restaurar o relacionamento o mais breve possível, não im-porta o quão seriamente tenhamos sido feridos. “Acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição” (Colossenses 3:14).

É desta forma que estamos ligados a Deus – por meio da morte e da ressurreição de Seu Filho, Jesus. Deus nos amou tanto a ponto de que quando o pecado entrou no mundo e obstruiu o relacionamento com Ele, em Seu infinito amor, buscou restaurá-lo o mais prontamente possível. O amor de Deus se estende constantemente a nós, bus-cando levar-nos a profundo relacionamento com Ele e unindo nossa mente, vontade e emoções às Suas. Se Deus não nos amasse, não agiria assim. Mas louvado seja Deus que nos ama a fim de estarmos ligados a Ele por meio desse amor.


3) O amor produz alegria em nossa vida.

Certamente o mundo seria um lugar solitário sem o amor de Deus. Sem Deus, não há propósito, sentido ou destino para nossa vida. Ela seria o vácuo – sem qualquer senti-do. Vaguearíamos sem destino ao longo da vida, desejando que algo ou alguém nos amasse e nos desse esperança. Muitas pessoas que não descobriram o amor de Deus estão perambulando neste momento em busca do ingrediente faltante para tornar-lhes a vida completa.

Então, o que Deus e Seu amor fazem em nossa vida? Porque Se interessa por nós, Deus deseja que tenhamos propósito, sentido e destino. Quando entendemos o quanto Deus nos ama, passamos a ver a vida sob nova perspectiva. Seu amor nos dá propósi-to, significado, esperança e destino. E nisso encontramos a alegria. “Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus man-damentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço. Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo” (João 15:9-11).

Compreender o amor de Deus por nos é importante. Igualmente importante é que compreendamos porque esse amor é tão vital a nosso crescimento, nosso relaciona-mento com Deus e nosso testemunho aos outros. São Francisco de Assis compreen-deu a importância de amar os outros e ao se empenhar nesse sentido, buscou a ajuda de Deus que dessa forma pôde transformar-lhe o coração.

[Extraído de Spiritual Powerpoints, InTouch Ministries.]

Extraído de www.igrejaadventista.org/Ministeriodacrianca

TEMPO DE ESPERANÇA